****************** Um blog dedicado ao meus alunos da Rede Pública e Privada de Ensino. ******************

sexta-feira, 29 de julho de 2011

30 milhões do seu bolso!

Duas Reportagens sobre o mesmo assunto! O sorteio da Copa do Mundo.
O que as torna tão diferentes? O interesse!

Globo defende o uso do seu dinheiro em uma transmissão de 30 milhões por apenas duas horas!!!!

Veja as críticas da Record e entenda porque a Globo defende a transmissão.

E os bombeiros?
E o professores?

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Se escola fosse estádio e educação fosse Copa

Se escola fosse estádio e educação fosse Copa

Jorge Portugal

 
Passei, nesses últimos dias, meu olhar pelo noticiário nacional e não dá outra: copa do mundo, construção de estádios, ampliação de aeroportos, modernização dos meios de transportes, um frenesi em torno do tema que domina mentes e corações de dez entre dez brasileiros.
Há semanas, o todo-poderoso do futebol mundial ousou desconfiar de nossa capacidade de entregar o “circo da copa” em tempo hábil para a realização do evento, e deve ter recebido pancada de todos os lados pois, imediatamente, retratou-se e até elogiou publicamente o ritmo das obras.


Fiquei pensando: já imaginaram se um terço desse vigor cívico-esportivo fosse canalizado para melhorar nosso ensino público? É… pois se todo mundo acha que reside aí nossa falha fundamental, nosso pecado social de fundo, que compromete todo o futuro e a própria sustentabilidade de nossa condição de BRIC, por que não um esforço nacional pela educação pública de qualidade igual ao que despendemos para preparar a Copa do Mundo?
E olhe que nem precisaria ser tanto! Lembrei-me, incontinenti, que o educador Cristovam Buarque, ex-ministro da Educação e hoje senador da República, encaminhou ao Senado dois projetos com o condão de fazer as coisas nessa área ganharem velocidade de lebre: um deles prevê simplesmente a federalização do ensino público, ou seja, nosso ensino básico passaria a ser responsabilidade da União, com professores, coordenadores e corpo administrativo tendo seus planos de carreira e recebendo salários compatíveis com os de funcionários do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. Que tal? Não é valorizar essa classe estratégica ao nosso crescimento o desejo de todos que amamos o Brasil? O projeto está lá… parado, quieto, na gaveta de algum relator.
O outro projeto, do mesmo Cristovam, é uma verdadeira “bomba do bem”. Leiam com atenção: ele, o projeto, prevê que “daqui a sete anos, todos os detentores de cargo público, do vereador ao presidente da República serão obrigados a matricular seus filhos na rede pública de ensino”. E então? Já imaginaram o esforço que deputados (estaduais e federais), senadores e governadores não fariam para melhorar nossas escolas, sabendo que seus filhos, netos, iriam estudar nelas daqui a sete anos? Pois bem, esse projeto está adormecido na gaveta do senador Antônio Carlos Valladares, de Sergipe, seu relator. E não anda. E ninguém sabe dele.
Desafio ao leitor: você é capaz de, daí do seu conforto, concordando com os projetos, pegar o seu computador e passar um e-mail para o senador Valadares (antoniocarlosvaladares@senador.gov.br) pedindo que ele desengavete essa “bomba do bem”? É um ato cívico simples. Pela educação. Porque pela Copa já estamos fazendo muito mais.
Jorge Portugal é educador, poeta e apresentador de TV. Idealizou e apresenta o programa “Tô Sabendo”, da TV Brasil.
Fonte: Terra Magazine
Tags: por Jorge PortugalSe escola fosse estádio e educação fosse Copa

Osmar Prado grava vídeo de apoio aos professores

Filme sobre a Segunda Guerra Mundial

A Conquista da Honra (2006)  Título Original: Flags of Our Fathers
  Gênero: Drama | Histórico | Guerra
  Ano de Lançamento: 2006
  Duração: 132 min
  País de Produção: EUA
  Diretor(a): Clint Eastwood
[ Atendendo ao Pedido de: Douglas Andrade ]
Sinopse:
Fevereiro de 1945. Apesar da vitória anunciada dos aliados na Europa, a guerra no Pacífico prosseguia. Uma das mais importantes e sangrentas batalhas foi a pela posse da ilha de Iwo Jima, que gerou uma imagem-símbolo da guerra: cinco fuzileiros e um integrante do corpo médico da Marinha erguendo a bandeira dos Estados Unidos no monte Suribachi. Alguns destes homens morreram logo após este momento, sem jamais saber que foram imortalizados. Os demais permaneceram na frente de batalha com seus companheiros, que lutavam e morriam sem qualquer ostentação ou glória.

Elenco:
Ryan Phillippe ... John "Doc" Bradley
Jesse Bradford ... Rene Gagnon
Adam Beach ... Ira Hayes
John Benjamin Hickey ... Keyes Beech
John Slattery ... Bud Gerber
Barry Pepper ... Mike Strank
Jamie Bell ... Ralph "Iggy" Ignatowski
Paul Walker ... Hank Hansen
Robert Patrick ... Colonel Chandler Johnson
Neal McDonough ... Captain Severance
Melanie Lynskey ... Pauline Harnois
Thomas McCarthy ... James Bradley (como Tom McCarthy)
Chris Bauer ... Commandant Vandegrift
Judith Ivey ... Belle Block
Myra Turley ... Madeline Evelley

Veja mais:
http://www.filmesepicos.com/2011/07/conquista-da-honra-2006.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+FilmesEpicos+%28%3A%3A+FILMES+EPICOS+%3A%3A%29


Nem o Senhor Jesus aguentaria ser um professor nos dias de hoje....

O Sermão da montanha (*versão para educadores*)

Naquele tempo, Jesus subiu a um monte seguido pela multidão e, sentadosobre uma grande pedra, deixou que os seus discípulos e seguidores se aproximassem.Ele os preparava para serem os educadores capazes de transmitir a lição da Boa Nova a todos os homens.Tomando a palavra, disse-lhes: - Em verdade, em verdade vos digo:- Felizes os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.- Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.- Felizes os misericordiosos, porque eles...?Pedro o interrompeu:- Mestre, vamos ter que saber isso de cor?André perguntou:- É pra copiar?Filipe lamentou-se:- Esqueci meu papiro!Bartolomeu quis saber:- Vai cair na prova?João levantou a mão:- Posso ir ao banheiro?Judas Iscariotes resmungou:- O que é que a gente vai ganhar com isso?Judas Tadeu defendeu-se:- Foi o outro Judas que perguntou!Tomé questionou:- Tem uma fórmula pra provar que isso tá certo?Tiago Maior indagou:- Vai valer nota?Tiago Menor reclamou:- Não ouvi nada, com esse grandão na minha frente.Simão Zelote gritou, nervoso: - Mas porque é que não dá logo a resposta e pronto!?Mateus queixou-se:- Eu não entendi nada, ninguém entendeu nada!Um dos fariseus, que nunca tinha estado diante de uma multidão nem ensinado nada a ninguém, tomou a palavra e dirigiu-se a Jesus, dizendo:- Isso que o senhor está fazendo é uma aula? - Onde está o seu plano de curso e a avaliação diagnóstica?- Quais são os objetivos gerais e específicos?- Quais são as suas estratégias para recuperação dos conhecimentos prévios?Caifás emendou:- Fez uma programação que inclua os temas transversais e atividades integradoras com outras disciplinas?- E os espaços para incluir os parâmetros curriculares gerais?- Elaborou os conteúdos conceituais, processuais e atitudinais?Pilatos, sentado lá no fundão, disse a Jesus:- Quero ver as avaliações da primeira, segunda e terceira etapas e reservo-me o direito de, ao final, aumentar as notas dos seus discípulos para que se cumpram as promessas do Imperador de um ensino de qualidade.- Nem pensar em números e estatísticas que coloquem em dúvida a eficácia do nosso projeto.- E vê lá se não vai reprovar alguém!E, foi nesse momento que Jesus disse: "Senhor, por que me abandonastes..."

terça-feira, 26 de julho de 2011

Sensacional!!!

Reportagem da Record

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Artistas prestaram depoimentos de solidariedade aos
profissionais da rede estadual acampados na SEEDUC

No último fim de semanaos profissionais que mantém o acampamento na frente
da SEEDUC receberam o apoio deartistas que passaram pelo local para assistir um
espetáculo no Teatro Glauce Rochalocalizado nas imediações do localonde a
categoria está concentrada. No sábado, o ator Osmar Prado, abordado pelos
profissionaismostrou o seu apoio àcausa da rede estadual. No domingofoi a vez
 do ator Antônio Fagundesque também foi ao teatro e aproveitou paradar uma
passada no acampamentotirando várias fotos com os profissionais e chegou até
 mesmo a vestir uma dascamisetas dos profissionais.



Dezenas de entidades assinaram moção de apoio em
 solidariedade à greve na rede estadual

MOÇÃO DE APOIO À LUTA DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DAS ESCOLAS
 DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO



Governo Sérgio Cabral mantém uma relação privilegiada com as empreiteiras, as
 multinacionais e os bancos.  Para osseus amigos não falta dinheiro. São obras
 faraônicas de utilidade duvidosa.  Todos os recursos destinados à educação vão
parar nos bolsos das empresas, dos bancos e fundações.   Enquanto isso nas escolas
faltam professoresfuncionários eequipamentos didáticos.  Além dissoCabral se
recusa a fazer qualquer tipo de concessão de reajuste ou reposição deperdas salariais.
  Um professor concursado, com formação universitária recebe um salário de
menos de 700 reais.  Umfuncionário tem salário menor que o salário mínimo e
 não tem plano de carreira.  A merendeira ou a bibliotecária tem omesmo mísero
 salárioPor tudo isso e com a necessidade dos educadores oferecerem aos seus
 alunos um ensino dequalidade, a educação estadual entrou em greve a partir
de 07 de junho.

Cabral promove a mesma política do governo Dilma.  A imprensa tem mostrado
 a quadrilha que se locupleta com odinheiro público em Brasília e no Rio de Janeiro.
 No Rio, o caso veio à tona com a revelação de que Eike Batista, doGrupo EBX,
 emprestou um jatinho para Cabral festejar o aniversário de Fernando Cavendish,
 da Delta ConstruçõesnaBahia.  Eike e Cavendish são dois dos muitos generais
 que comandam a pilhagem de recursos públicos no estadofluminense.

A sangria de bilhões de reais que vão para o bolso da burguesia  é possível com
 a política de Cabral de arrocho salarialsobre os servidoresprincipalmente, a
 educação.  Portanto dinheiro para reajustar os salários.   dinheiro para
remunerar com dignidade os aposentados e pensionistas.

Tudo isso sem falar na eleição para as direções das escolasna revitalização do
 IASERJ, a não extinção das 22 escolasnoturnas, o cumprimento do plano de carreira
 dos funcionários e a regularização da situação dos animadores culturais,entre outras.
    É nessa situação que Cabral se recusa a reconhecer a greve e atender as justas
reivindicações doseducadores fluminenses.   Sendo assimsomos solidários com a
 luta destes trabalhadores.  Sua luta é em defesa daeducação estadual no Rio de
Janeiro.  Por isso exigimos que este governo atenda imediatamente todas as
reivindicações,faça concurso público para o quadro de professoresfuncionários e
 aumente os investimentos na educação.  Não épossível que no Rio tenha dinheiro
 para empreiteiro e não tenha para a educação pública.

Assinam:


Diretoria da ADUFF-SSindAssociação dos Docentes da Universidade Federal Fluminense
 - ADUFF - Seção Sindical doANDES-SNCSP-CONLUTAS – CENTRAL SINDICAL E POPULAR;
 Sintrajude/SPSindsef/SPSindicato Dos Bancários De BauruRegiãoAssociação dos
Docentes da UNESPSindicato dos Trabalhadores da empresa dos Correios e Telégrafos
 dePernambucoSindicato dos Petroleiros de Sergipe e AlagoasSindicato Dos
Trabalhadores Em Serviços De Saúde DeFormiga - Stssf Comissão Intersindical Formiga
 - CisfOposição Bancária de São Paulo; Sindicato dos trabalhadores emEducação da Rede
 Pública Municipal de Belo HorizonteSindicato dos Trabalhadores em Empresas de
Assessoramento,PesquisasPerícias e Informações de Minas Gerais - SINTAPPI-MG;
Sindicato dos Servidores Públicos de BetimSindicatodos Servidores Públicos de Monte
CarmeloSindicato dos trabalhadores em educação de DivinópolisSindicato Metabase
dos InconfidentesSindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Itajubá
RegiãoSindicato dosEmpregados em Estabelecimentos de Saúde de BH e Região;
 Sindicato dos Profis. dos Enfermeiros e Empregados emHospitais, Casa de Saúde,
Duchistas e Massagistas de DivinópolisSindicato dos Metalúrgicos de Várzea da Palma;
Sindicato dos Metalúrgicos de Governador ValadaresSindicato dos Metalúrgicos de
 Três MariasSindicato dosMetalúrgicos de DivinópolisSindicato dos Metalúrgicos de
 ItaúnaSindicato dos Metalúrgicos de Ouro PretoSindicato dosMetalúrgicos de Itajubá
 e RegiãoSindicato dos Metalúrgicos de PiraporaSindicato dos Ceramistas de Monte
Carmelo;Federação Sindical e Democrática dos Trabalhadores Nas IndMetalúrgicas de
 Minas GeraisSindicato dos Municipais deTabuleiroSindicato dos bancários do Rio
Grande do Norte; SindSaúde Rio Grande do Norte; Sintsef Rio Grande do Norte;
Sindicato dos Bancários do MaranhãoSintrajufe MaranhãoSindicato dos Municipais
de Alagoinha/BA; Sindicato dosMunicipais de Esplanada/BA; Sindiflora/BA; Sindicato
 Municipais de Entre Rios/BA; Sindicato da Construção Civil de Belém;Sindicato da
Construção Civil de FortalezaSindicato dos Judiciários do estado do CearáSindicato
 dos Rodoviários doCearáSindicato dos trabalhadores na Indústria da Confecção
Feminina de Fortaleza/CE; Sindicato dos Municipais deQuixerêSindicato dos Municipais
 de Juazeiro do Norte.

http://www.seperj.org.br/

RJ: em protesto, professores enterram contracheques no Leblon


RJ: em protesto, professores enterram contracheques no Leblon
24 de julho de 2011  20h14  atualizado às 20h49

comentários
47
Os professores do Estado do Rio de Janeiro fizeram uma manifestação atípica na manhã deste domingo: enterraram seus contracheques na praia. Foto: Futura Press
Protesto: professores enterraram seus contracheques na areia da praia
Foto: Futura Press

PRISCILLA COSTA
Os professores do Estado do Rio de Janeiro fizeram uma manifestação atípica na manhã deste domingo. Levaram para a Avenida Delfim Moreira, no Leblon, zona sul do Rio, seus contracheques, numa forma de reivindicação de aumento em seus salários. Ampliados em cartazes, os documentos foram enterrados na areia da praia.
A concentração promovida pelo Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do RJ (Sepe) reuniu aproximadamente 300 pessoas, entre professores, estudantes e moradores do bairro. Muitos deles, segundo Leila da Silva Xavier, uma das coordenadoras do Sepe, se empolgaram e tomaram a palavra ao microfone várias vezes durante o manifesto.
"Muitos moradores têm seus filhos matriculados em escolas particulares e nem sabem do descaso que sofremos. A maioria ficou bem indignada com os valores que nós recebemos", relatou Leila, que liderou os manifestantes vestidos com camisetas pretas - para simbolizar o luto dos educadores pela a falta de uma contraproposta por parte do Governo do Estado, pelo reajuste salarial.
A greve dos professores completa neste domingo 49 dias. No próximo dia 27 os conselheiros do Sindicato se reúnem na Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro da cidade, para discutir possíveis avanços nas negociações com o governo e os rumos do acampamento montado na Secretaria de Educação do Estado. "Ficamos até o dia 3 de agosto. Não desistiremos até termos o reajuste da categoria", disse Maria Beatriz Lugão.
Ampliados em cartazes, os contracheques foram enterrados na areia da praia, como forma de protesto  Foto: Futura Press
Os professores levaram para o Leblon, zona sul do RJ, seus contracheques e os enterraram na areia da praia  Foto: Futura Press