****************** Um blog dedicado ao meus alunos da Rede Pública e Privada de Ensino. ******************

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Vocês podem dizer o que quiserem, mas neste ponto eu concordo com ele!!!

Que porra é essa, nós pagamos as contas e o Estado decide o que temos que fazer com eles?
Quanto mais protegemos essas crianças, piores elas estão ficando quando adultas. Apenas eu estou vendo a sociedade ficar a cada ano mais violenta?
Isso ao mesmo tempo em que os pais estão intimidados pelos filhos. Eu já vi, de perto, uma criança ameaçar chamar a polícia para o avô, pois esse último disse que iria dar uma palmada nela.
Na sala de aula, há correntes que dizem que as notas dos alunos devem todas estar de azul, pois o vermelho poderia "traumatizar" a criança. Seu pai é traumatizado? Seu pai é mais ou menos violento do que você? Alunos estão atacando professores todos os dias, não falo só de violência física, mas também simbólica.Principalmente simbólica. Se já não respeitam os pais porque deveriam fazer isso com os professores, que são pagos para ensinar, sobre tudo, disciplina, aos jovens.

A Xuxa apoia esta merda porque não é ela quem cuida da filha, nunca cuidou. Tem um batalhão de empregadas que moram na Baixada para cuidar e lidar com o chiliques da filha. Sou mais um voto contra esta lei absurda.

Fábio Souza Lima


Deputado Bolsonaro consegue assinaturas para impedir que ‘Lei da Palmada’ vá direto ao Senado

Lei aprovada em Comissão especial Câmara iria direto ao Senado.
O deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ) conseguiu, ontem (19/dez) de manhã, as 51 assinaturas necessárias para fazer com que o projeto da Lei das Palmadas tenha que ser votado no Plenário da Câmara dos Deputados, conforme informou a colunista do Jornal Extra, Berenice Seara.
Acordo entre o governo e a bancada evangélica estipulava que o projeto de “Lei da Palmada”, com todas as suas ameaças aos pais e mães do Brasil, deveria ir diretamente para o Senado, depois da aprovação na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, numa votação que desrespeitou a maioria dos pais e mães do Brasil, contrários a essa invasão dos direitos dos pais.
Uma enquete feita pelo Jornal Hoje da Globo, contabilizou a votação de   9.616 pessoas. 85% delas foram contra a lei e apenas 15%, favoráveis.
A votação em plenário não garante que os direitos dos pais serão respeitados, mas ali, com todos os deputados votando, a ação da sociedade  mobilizadapoderá reverter a situação.
A aprovação da Lei da Palmada pela Câmara foi causou espanto e repúdio no meio evangélico.
Para o pastor Rubens Teixeira da Assembleia de Deus, já existe previsão nas leis brasileiras para quem provoque dano físico ou psicológico em uma criança. Para ele, a lei da palmada “servirá para formar uma geração de mais delinquentes, mas irresponsáveis, mais egoístas e mais desobedientes. No futuro, “isto exigirá que o poder estatal seja mais duro, mais intolerante e mais interventor nas relações humanas”, conclui o pastor.
pastor Jorge Videira, presidente da Assembleia de Deus Óleo e Vida e professor FAECAD,  indaga: “será que leis criadas recentemente, tem o direito de mudar as leis milenares do Criador? Aqui não estamos tratando de leis religiosas, mas de leis sociais que durante milênios formaram a consciência do mundo. A família é a base da sociedade e o respeito que os filhos tem que ter em relação aos pais precisam ser preservados. É responsabilidade dos pais a educação dos filhos e o governo não tem o direito de mexer nisto”.
pastor Silas Malafaia escreveu em seu perfil do Twitter quatorze mensagens e referências bíblicas que enfatizam a correção dos filhos.
Mostrando seu  descontentamento com a aprovação da mesma,  prometeu ‘descer o bambu’ no dia 24 de dezembro,  através do Programa Vitória Em Cristo exibido pela Rede TV, às 09h30min.
“Essa lei da palmada é mais uma palhaçada de deputado que não tem o que fazer e não entende nada de educação de filho”, desabafou o pastor.
-- 
Fábio Souza Lima
Profº de Filosofia e História
I.E. Carmela Dutra e C.E. Olegário Mariano

Nenhum comentário:

Postar um comentário