Rio -  Na corrida rumo às cinco primeiras posições no ranking do ensino público no País até 2014, estudantes das escolas estaduais do Rio estão avançando, mas o
ritmo ainda é lento — sobretudo considerando-se que o estado está em penúltimo lugar na análise nacional de performance. Resultado do Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio (Saerj), de 2011, divulgado ontem pela Secretaria Estadual de Educação, mostra que o conteúdo assimilado em cada disciplina pelos jovens melhorou em relação à última avaliação em 2009, mas ainda está baixo.
No Ensino Médio, a pontuação dos alunos em Matemática saltou de 260,8, em 2009, para 281,2 em 2011. Com isso, eles passaram do nível mais baixo para o intermediário, mas continuam abaixo do nível adequado, que varia de 350 a 375. Em Português, a marcação passou de 257,3 para 274,2, mantendo-se na faixa intermediária, quase no limite com o nível adequado, que oscila entre 300 a 350. A escala de Português avalia a capacidade do aluno de ler e interpretar textos. Em Matemática, os níveis apontam o desenvolvimento do raciocínio e a capacidade de resolver operações.
Foto: Arte O Dia
Foto: Arte O Dia
O secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, disse que o resultado está longe do ideal, mas dentro do previsto. “Nesse ritmo vamos atingir a meta de 2014”, diz ele, que espera obter este ano um Ideb mais alto. Em 2009, o Rio ficou à frente apenas do Piauí na avaliação do Ministério da Educação (MEC).
Premiação
Os 9.964 alunos com melhores notas no Saerj ganharão computadores portáteis até junho. A Secretaria de Educação ainda não decidiu se serão notebooks ou netbooks. O secretário Wilson Risolia anunciou também que os 25 melhores estudantes receberão bolsa integral este ano para estudar na Universidade Gama Filho, até a formatura, com exceção do curso de Medicina.
De acordo com Risolia, a premiação, que vem sendo feita desde 2008, é incentivo para aumentar a participação dos alunos na avaliação e motivá-los ao estudo: “É importante que as famílias continuem estimulando seus filhos a fazer o Saerj. Só assim será possível sanar deficiências e corrigir rumos para melhorar o ensino”.
Escolas do interior do estado se destacam mais uma vez
Mais uma vez, as escolas do interior do estado fizeram melhor o dever de casa. Das seis unidades que se destacaram no Saerj, quatro não são da capital.
A José Leite Lopes (o Nave, na Tijuca) ficou de novo entre as escolas com melhor desempenho | Foto: Fernando Souza / Agência O Dia
A José Leite Lopes (o Nave, na Tijuca) ficou de novo entre as escolas com melhor desempenho | Foto: Fernando Souza / Agência O Dia
A melhor escola da rede é o Colégio Estadual Oscar Batista, que fica em Cambuci, seguido pelo Colégio Estadual Chequer Jorge, em Itaperuna, na região Noroeste. O quarto e o quinto lugares são de Carmo (Ciep 280 Professor Vasco Fernandes da Silva Porto) e Itaocara (Ciep 275 Lenine Cortes Falante).
No Rio, as escolas que tiveram melhor desempenho foram os colégios estaduais Horácio Macedo (Maria da Graça) e José Leite Lopes (o Nave, na Tijuca). A desigualdade entre as escolas da rede foi reduzida em 20% no Ensino Fundamental e em 25% no Médio.