****************** Um blog dedicado ao meus alunos da Rede Pública e Privada de Ensino. ******************

(Crônica) O dia do funcionário Telemar

O dia do funcionário Telemar



·      Sábado, dia 31 de abril Am 7:20  Tenta entrar com seu carro na empresa, mas é advertido pela segurança de que todos os cartões de estacionamento já foram distribuídos aos seus monitores e supervisores.
·      Am 7:30     O funcionário entra e vai até o vestiário, então descobre que seu uniforme foi roubado.
·      Am 7:45     Ele vai assinar o ponto e vê a sala está fechada, pois nenhum supervisor chegou.
·      Am 7:55     Ouve falar de um boato, por alto que há uma reunião no refeitório.
·      Am 8:00     Chega ao refeitório, e não há mais lugar para ele sentar.
·      Am 8:15     Já cansado de estar em pé, começa a reunião.
·      Am 8:16     É advertido que sua produção esta baixa e que deve trabalhar mais e até mais tarde, sob pena de demissão.
·      Am 8:20     É informado que trabalhando aos sábados, suas horas-extra serão pagas.
·      Am 9:00     Dispensado da reunião, tenta começar a trabalhar, mas sua chave, já gasta, quebra na ignição. Seu supervisor informa que não pode fazer outra chave, já que a Telemar não pagou ao chaveiro.
·      Am 9:25     Já com chaves novas, pagas com seu dinheiro, vai até o velho e imundo armário, abre e um rato pula sobre ele.
·      Am 9:26     1º Ameaça de morte dos moradores, por estar criando ratos no armário.
·      Am 9:40     Um defeito; um fio cortado em uma tubulação predial.
·      Am 9:45     Recebe um comunicado de um amigo dizendo que em Irajá não há nem esterps para o pneu do carro, então lembra que o seu esta no aço.
·      Am 9:50     Consegue falar com a sua estação e pede com urgência um passa-fio.
·      Am 9:55     Recebe uma instalação.
·      Am 10:25   Pergunta na casa indicada se o futuro assinante está em casa. É avisado que aquele senhor já morreu a 2 anos mas mesmo assim ele tem que instalar.
·      Am 10:40   Comunicado da despachante e do supervisor cobrando produção.
·      Am 10:45   A duas quadras dali... Uma caixa secundária... Sem facilidade... Já na outra quadra, em outra caixa, esbarra num transformador de luz.
·      Am 11:15   Acorda com um balde d’água gelada no rosto, jogado pelo assinante, dizendo tem que ser instalado...
·      Am 11:16   Lembra na reunião que não teve a oportunidade de colocar sua marmita na estufa.
·      Am 11:20   2º ameaça de morte feita por que deixou toda rua inteira sem luz.
·      Am 11:25   Chega a estação, mas sua comida já esta estragada. Seus tíquetes e o seu salário ainda não chegaram. Sem saída, volta a trabalhar.
·      Pm 12:50    Termina a instalação, assinante reclama da demora. Despachante liga do seu almoço, e avisa que terá que ficar até mais tarde, para aumentar a produção. Também pergunta por aquele defeito.
·      Pm 13:15    recebe outro defeito. Anota aí: Rua x   Quadra z  lt. 172 casa.51 sobrado, fundos. Ponto de referência: Est. Dos Bandeirantes S/N.
·      Pm 13:45    No armário, o par primário está mudo.
·      Pm 14:45    Consegue falar com o examinador, então descobre que além de mudo, alinha está “aberta”. Sozinho, manobra o secundário.
·      Pm 15:00    Comunicado da despachante e do supervisor cobrando produção.
·      Pm 15:15    O fio do assinante também está arrebentado.
·      Pm 15:45    Comunicado da despachante e do supervisor cobrando produção.
·      Pm 15:50    Troca toda a fiação e percebe que seu “ruído” ainda não chegou. Volta ao armário.
·      Pm 16:15    Assinante desiste de esperar e sai de casa.
·      Pm 16:30    Ligador troca o módulo.
·      Pm 16:25    Despachante avisa que aquela nota não vai entrar para sua produção, pois o local estava fechado.
·      Pm 16:30    O rádio comunica que encontraram um passa-fio mas quando vão dizer com quem está, a bateria acaba pois o carregador que a Telemar lhe deu, está com defeito. Ao trocar a bateria, não consegue falar com ninguém.
·      Pm 16:45    Chega a estação e consegue o passa-fio.
·      Pm 16:46    Comunicado da despachante e do supervisor cobrando produção.
·      Pm 16:55    Passa-fio do colega, já gasto, arrebenta, então ele compra dois passa-fios.
·      Pm 17:25    Já com o fio passado, descobre que o módulo queimou no D.G.
·      Pm 17:26    Comunicado da despachante e do supervisor cobrando produção.
·      Pm 17:45    Assinante reclama da demora.
·      Pm 17:46    Consegue falar com o exame.
·      Pm 17:46    1º esporro do examinador: Porra! A essa hora?!
·      Pm 17:55    Ligador troca o módulo.
·      Pm 18:15    Ele fecha o serviço, assinante começa a reclamar: Diz que se ficar mudo novamente... Vai entregar sua matrícula e a placa do seu carro para Telemar.
·      Pm 18:25    Ainda levando esporro, despachante liga para assinante e pergunta tudo que você fez... se foi bem atendida... se foi entregue o comprovante de visita... se ele pediu algum dinheiro por isso. Assinante diz que foi mal atendida e que o reparador e muito devagar.
·      Pm 18:35    Ele volta a estação e se depara com um caminhão-segonha. Ao perguntar o que houve...   -Ô terrível!!! A essa hora??!! Põe logo o carro lá em cima por que a Telemar não pagou o aluguel deles.
·      Pm 18:45    Vai até o vestiário, descobre que a sua toalha foi roubada.
·      Pm 19:00    Resolve ir embora e ao chegar na rua ao lado, vê que seu carro foi rebocado.
·      Pm 20:30    Ao pagar o Estado, consegue retirar o seu carro todo arranhado do estacionamento em Realengo. No caminho, ao passar em frente a Telemar, o seu pneu fura.
·      Pm 21:30    Chegando em casa, sua mulher pergunta aonde estava, não acredita em você... Porque você trabalha tanto, só você é que é trabalha assim...!!! E não recebe hora-extra! Você tem outra mulher na rua! Tava na farra!
·      Pm 22:30    Sua mulher tranca a porta do quarto e como sua casa está em construção, só há banheiro no quarto, fica então sem banho, no sofá com sua cadela Semfac. Ao querer ligar a TV, lembra que o téc. de TV não devolveu seu aparelho pois não recebeu no dia certo. (nem ele). Tira o telefone do gancho e pede uma pizza, mas seu telefone faz tanto barulho que o atendente anota o endereço errado.
·      Pm 11:40    Desiste de esperar e dorme do jeito que está.


Dia 1 de maio


·      Domingo: Am 5:30 ao acordar para trabalhar, uma dor imensa no ombro. Logo é internado, descobre que sofre de uma tendinite, que se mostra aguda pelo esforço repetitivo. O médico pede para que ele fique em casa durante uma semana.

Dia 2 de maio

·      Segunda: Am 8:00 Ele entrega na seção, seu atestado médico e diz que mesmo assim vai trabalhar amanhã.

Dia 3 de maio

·      Terça Pm 18: 15 Depois de trabalhar mais um dia inteiro com o ombro doendo, enfim esse herói e libertado.

Demitido.
Baixa produção.







Essa não é uma obra de ficção, embora o personagem principal seja um e ao mesmo tempo todos nós. O objetivo é claro; transparecer que nem sempre ser uma empresa grande é sinônimo de ser uma grande empresa. As mudanças destinadas a melhorar o atendimento e imagem da empresa seriam sim, válidos se a nossa área de marketing soubesse do paradoxo que enfrentamos; do funcionário da extinta Telerj, que apesar de mal falada, recebia em dia e fazia o seu papel com amor. E da Telerj que agora é Telemar, seus milhões, gastos em publicidade e seus funcionários desanimados, cansados e mal remunerados.















Nenhum comentário:

Postar um comentário